PSICOTERAPIA? EU?

 

Por Edison Evaristo Vieira Junior

 

“Nosso consolo corriqueiro, que tão liberalmente dispensamos aos enfermos — ‘Você logo ficará bom de novo!’ -, corresponde a um dos métodos psicoterapêuticos”. - Sigmund Freud.

Até os dias de hoje a Psicologia é vista de forma errônea entre maior parte da população. Muitos a vêem como uma ciência destinada aos loucos, aos desajustados e para casos de distúrbios mentais, apenas. Em outros casos, é vista como um meio do indivíduo conversar e ouvir conselhos em situações ruins. Outros já acham que a Psicologia é uma ciência que possibilita ao psicólogo “ler a mente do outro” e analisar tudo o que outras pessoas fazem, deixando alguns desconfortáveis diante de um profissional desta área.

Mas o que é a Psicologia? Para que serve a Psicologia?

Este artigo não pretende explicar de forma detalhada todos os campos em que atua a Psicologia e nem suas modalidades teóricas, visa apenas demonstrar que a Psicologia não é aquilo que muitos pensam que ela seja.

A Psicologia é uma ciência que possui inúmeras modalidades teóricas, como já foi dito, e inúmeros objetos de estudo. Um psicólogo comportamental dirá que o objeto de estudo da psicologia é o comportamento, seja ele humano ou animal; se perguntarmos para um psicanalista (analista que utiliza a Psicanálise idealizada por Freud como método) ele dirá que seu objeto de estudo é o Inconsciente humano e por ai vai. A Psicologia atingiu uma amplitude teórica muito grande e com isto as aplicações e utilidades da Psicologia também cresceram.

 

 

Muitos autores, como Skinner, Jung, Freud, Piaget, Vigotsky, Lacan, entre outros fizeram da Psicologia uma ciência que pode estar presente basicamente em todos os setores da sociedade, em todas instituições humanas e nas mais variadas situações e necessidades. O psicólogo não precisa e nem deve estar somente nos consultórios esperando seus clientes/pacientes ou nas empresas, contratando e demitindo pessoas, nos processos de seleção profissional.

A Psicologia Clínica, onde um indivíduo se submete a psicoterapia, é o trabalho mais tradicional da Psicologia, mas não é o único. Nos dias de hoje a psicologia já está presente nas escolas, onde trabalha com professores, funcionários e alunos e com novos métodos de ensino; nos hospitais, tanto na contratação de profissionais como no auxílio aos funcionários, pacientes e familiares; nas indústrias, desenvolvendo o ambiente de trabalho, a integração dos funcionários, além da contratação de perfis adequados ao tipo de trabalho solicitado; na Publicidade, onde métodos são estudados e colocados em prática para o sucesso de uma determinada campanha publicitária; na Justiça, onde o psicólogo prepara laudos, aplica testes e analisa criminosos e situações sub júdice; no Trânsito, tanto no momento em que um indivíduo tira sua Carteira Nacional de Habilitação como para desenvolver políticas de conscientização e uma melhor atividade no trânsito; na Biologia Animal, onde o psicólogo estuda comportamentos de animais e sua relação com o meio; enfim, a psicologia está presente em uma gama enorme de atividades humanas, dada sua capacidade em analisar os fatos não somente em sua forma objetal, visível e concreta, mas levando em conta os processos mentais, a individualidade, as preferências de cada um, o impacto do ambiente no indivíduo, a estrutura de personalidade de cada um, o nível de desenvolvimento, entre outras peculiaridades. Isto não faz da Psicologia um modismo e sim um mecanismo útil e necessário para que se compreenda e aperfeiçoe a cada dia as relações humanas, tanto as coletivas como as individuais e institucionais.

Por tudo isto, seja qual for nossa profissão, classe social, religião, cultura ou nacionalidade podemos consultar um psicólogo. Na clínica, por exemplo, até mesmo casos de asma, dores no corpo, caspa capilar, obesidade, entre outros casos, são resolvidos com psicoterapia, por encontrarmos, nela, o equilíbrio entre corpo e mente.

Um psicólogo não deve somente ser procurado em casos de problemas ou transtornos mentais, mas pode ser procurado para nos ajudar a nos conhecermos melhor, a compreender melhor as pessoas que estão a nossa volta, o mundo em que vivemos e como lidar com os problemas, alegrias e oportunidades que a vida nos oferece, fazendo com que vivamos melhores e de forma mais intensa.

 

Bibliografia

BOCK, A. M. M.; FURTADO, O.; Teixeira, M. L. T.; Psicologias: Uma introdução ao Estudo de Psicologia. São Paulo, Saraiva, 1993, pp. 254-263

DAVIDOFF., L. L., Introdução a Psicologia, Trad. Auriphebo Berrance Simões, Maria da Graça Lustrosa, São Paulo, McGraw-Hill do Brasil, 1983, pp. 569-570

FREUD, S., Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, Trad. Jayme Salomão, Rio de Janeiro, Ed. Imago, 1969, vol. VII